Tipos de arremessadores no Beisebol

Seguindo com as regras do Beisebol, temos agora os arremessadores.

Tem-se 13 tipos de arremessadores:

O ás geralmente é o arremessador que começa as partidas de eliminatórias importantes – as quais inclusive ele tem a mordomia de descansar 3 dias. Isso acontece porque o ás é o melhor arremessador do time. Tirando algumas raras excessóes, repito, ele é o cara para abrir as partidas importantes no montinho;

O arremessador inicial é aquele que atua no primeiros lançamentos de uma partida de beisebol. Em média eles fazem de 7 a 8 arremessos e depois dão lugar aos especialistas;

O arremessador reserva como o nome já diz é o arremessador que entra se o arremessador titular se machucar por alguma situação inusitada de jogo. Para cada especialista há um reserva designado;

O arremessador setup é normalmente o arremessador que vem antes do fechador da partida e entra entre o 7º e o 8 inning. Geralmente ele entra na entrada onde está com mais dificuldade ou atrás do placar;

O arremessador relief médio normalmente entra entre o 6º e 7º inning quando o jogo está nos momentos cruciais de definição onde ele é mais exigido a não cometer erros que comprometam o resultado final da partida;

O fechador é o arremessador que entra no último inning e sua função é apaziguar os ânimos nos momentos finais. Ele é um dos melhores arremessadores da equipe e normalmente entra para assegurar as vitórias ou apenas para não deixar uma derrota pior;

O especialista canhoto é que realiza os arremessos de dentro para fora da zona de strike dificultando assim as rebatidas de destros;

O apaziguador longo ou long reliever é o arremessador que entra geralmente entre o 1º e 4º innings quando o ás ou o arremessador inicial estiverem atuando mal ou se machucarem por alguma razão;

O arremessador de potência é o dono do braço mais forte e potente que muitas vezes abre mão da precisão para encaixar lançadas rápidas que façam o rebatedor receber strikeouts. O arremessador de potência serve para manter a bola fora de jogo, por isso mesmo, normalmente ele é utilizado no último inning para que não haja chances de o time adversário encaixar home runs ou corridas;

O arremessador de controle sucintamente falando é o contrário do de potênia e abre mão da bolas rápidas que dependem de força e preferem controlar o inning com bolas precisas. O arremessador de controle é fundamental para ficar à frente na contagem, e assim ganhar vantagem sobre os batedores para mantê-los fora da base;

O arremessador de bola rasteira é aquele que normalmente lança bolas no limite mais baixo da zona de strike forçando os rebatedores a baterem bolas pro chão podendo assim sair de situações difíceis causando queimadas na base. Esse arremessador precisa confiar muito nos 1º, 2º e 3ª base para realizar sua lançada;

O arremessador de bola alta é aquele que normalmente mantém sua bola rápida elevada acima da zona de strike confiando num atraso de movimento do rebatedor fazendo com que o mesmo seja incapaz de fazer o contato do bastão com a bola;

E finalmente o arremessador switch é o ambidestro especialista do time que arremessa tanto com a direita quanto com a esquerda confundindo o rebatedor.

Continue acompanhando os próximos posts para saber mais sobre as regras do Beisebol.

Deixe o seu comentário

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>